Quinta, 02 Dezembro 2021

Telefone: 63 3214-1853 | Whatsapp: 63 98403-8418 | E-mail: [email protected]

Polícia

Gaeco/MPTO cumpre seis mandatos de busca e apreensão contra servidores, ex-servidores e despachantes

Publicado em: Terça, 23 Novembro 2021 14:54 Escrito por Redação
Avalie este item
(0 votos)
Mandatos de busca e apreensão contra servidores, ex-servidores e despachantes acusados de fraudar sistema do Detran Créditos da imagem: Divulgação Mandatos de busca e apreensão contra servidores, ex-servidores e despachantes acusados de fraudar sistema do Detran

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Tocantins (MPTO), com apoio da Polícia Civil, cumpriu na manhã desta terça-feira, 23,  seis mandados de busca e apreensão em Palmas e Goiânia (GO).  A operação teve como alvo servidores e ex-servidores do Detran, além de despachantes acusados de condutas criminosas relacionadas a inserções de informações falsas no sistema “DetranNet”, entre os anos de 2019 e 2020. A operação recebeu o nome de Matrix.

Segundo apurações, iniciadas no ano passado, os investigados estavam lotados na Diretoria de Operações do Detran/TO e possuíam senhas que permitiam amplo acesso ao sistema “DetranNet”, o que lhes possibilitava a análise de diversos perfis com débitos veiculares ou pessoais. Os acusados, então, localizavam pessoas e ofertavam seus serviços, prometendo “apagar” do sistema multas, notificações e taxas pela metade do valor que seria pago inicialmente.

Os suspeitos inseriam, manualmente, dados falsos no sistema e então simulavam uma queda de energia ou queda do sistema no exato momento do lançamento. Após os lançamentos fraudulentos, as dívidas constavam como “quitadas” no sistema e os investigados recebiam 50% do valor total das notificações.

A organização criminosa realizou mais de 2.600 ações fraudulentas de inclusão de dados falsos no sistema.

Os gravames constantes de automóveis são armazenados, também, no banco de dados da Base de Índice Nacional de Infração de Trânsito (Binit), não sendo possível alterar manualmente. Os investigados não possuíam acesso a este sistema, o que permitiu averiguar se as baixas provisórias haviam sido realizadas ou não.

Após uma minuciosa investigação, o Gaeco requereu uma medida cautelar de busca e apreensão nas residências dos investigados. Celulares, notebooks e documentos foram apreendidos.

Compartilhar nas redes sociais

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Notícias em destaque

O Portal Agora-TO é um site de notícias voltado para a divulgação de informações do Tocantins e do Brasil e é editado sob a responsabilidade da Moara Comunicação Ltda, empresa sucessora da Dias e Vallim Ltda., com 21 anos de experiência na área de comunicação e jornalismo.

Newsletter

Cadastre-se em nosso Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias e novidades do Agora Tocantins.

Fique tranquilo, seu e-mail estará 100% protegido. Odiamos spam!